Já ouviu algo sobre a aplicação do Design Thinking na saúde? Nunca? Então, você precisa ler este artigo até o final. Preparamos um excelente conteúdo para trazer a você todas as informações sobre esse assunto. 

Você vai descobrir o que é, como aplicar na prática e, acima de tudo, entender a importância que o Design Thinking tem na saúde e no dia a dia das operadoras. Boa leitura!

O que é Design Thinking?

Para começar vamos trazer uma definição do Design Thinking. 

Essa é a metodologia utilizada por empresas para produção ou prestação de serviços, focando nas vontades dos consumidores. 

Ao mesmo tempo, o Design Thinking preza pela inovação e, através dela, cria estratégias para ir ao encontro do cliente.

Qual a importância do Design Thinking na saúde?

É normal que você pense que esse tema nada tenha a ver com a área da saúde. Porém, o Design Thinking está ligado diretamente a ela. Por isso, é fundamental saber quais são os benefícios do Design Thinking nos cuidados com os pacientes.

Com a finalidade de facilitar o entendimento sobre como essa metodologia contribui para o bem estar dos pacientes, apresentaremos em seguida alguns de seus benefícios.

1. Praticidade no preenchimento de prontuários

Assim como em outros segmentos, os profissionais da saúde precisam ter em mãos os dados pessoais de clientes para execução de diversas tarefas. A construção de um banco de dados diminui ou até elimina a necessidade de execução de trabalhos burocráticos. 

Desse modo, no momento em que há necessidade de preencher prontuários, o atendimento será muito mais rápido se o profissional puder recorrer a informações que estejam armazenadas. Além disso, o paciente será atendido de maneira mais ágil.

Certamente, essa ação proporcionará às empresas que oferecem planos de saúde, maior rapidez no atendimento e economia. Por consequência, ganharão mais tempo e credibilidade.

2. Melhoria no feedback dos usuários 

Na saúde, assim como em outras áreas, a experiência do usuário é fundamental para que uma operadora avalie os resultados de seu atendimento e planeje melhorias. A maneira como um cliente interage com uma empresa de plano de saúde é chamada User Experience.

Portanto, a partir do momento que um plano de saúde promove inovações e investe em canais de interação com o paciente, as chances de crescimento aumentam consideravelmente.

3. Maior adesão aos tratamentos

Cuidar da saúde é ação conjunta entre médico e paciente. Cabe ao profissional de medicina a transmissão das informações necessárias para que o paciente compreenda a importância do tratamento. 

Se a empresa contar com essa metodologia, poderá ter maior engajamento do paciente com o plano. Provavelmente, tanto o usuário como a operadora de plano de saúde levarão vantagens.

Como aplicar o Design Thinking na saúde?

Sem dúvida nenhuma a utilização do Design Thinking na saúde proporciona proveito tanto aos pacientes quanto às operadoras de saúde. 

Com o propósito de implementar na saúde, as operadoras de planos de saúde podem utilizar tecnologias que visam a saúde e bem-estar do paciente.

Entretanto, vale lembrar que os resultados da implementação do Design Thinking na saúde não chegam do dia para a noite. Basicamente, atinge-se os objetivos quando as formas de gestão na saúde são otimizadas.

Na prática, para aplicar o Design Thinking, você precisa contar com um software completo e interativo. O software Carefy pode te ajudar a abordar e resolver os problemas mais comuns, visando sempre a boa experiência do paciente, a eficiência da equipe e redução de custos para as operadoras.

Agora que você leu este artigo, pode compreender a importância do Design Thinking na saúde. Se deseja saber mais sobre esse assunto cadastre-se na nossa newsletter!