banner ebook auditoria em saúde

O atendimento à distância já faz parte da realidade dos brasileiros, e é essencial que as operadoras de saúde saibam se adaptar aos desejos dos pacientes. Descubra aqui como a prática da Telemedicina no Brasil funciona.

Segundo um estudo da Revista Bioética, a Telemedicina é a maior revolução da Medicina dos últimos anos, e proporciona diversas vantagens.

Se ganha na redução de tempo e despesas na locomoção dos pacientes, na interação entre profissionais, […] no gerenciamento dos recursos em saúde, na descentralização da assistência à saúde, entre tantos.”

Apesar da sua popularização, muitos profissionais e instituições ainda tem dúvidas sobre como praticar a Telemedicina no Brasil. Para te ajudar, elaboramos este artigo para solucionar todas as suas dúvidas. 

Aproveite o conteúdo!

Como a Telemedicina no Brasil funciona?

As instituições de saúde sabem que a Telemedicina sempre foi uma polêmica entre o meio médico. Muitos imaginavam que ela fazia parte de um futuro distante, quando em 2020, tudo mudou.

A pandemia de COVID-19 obrigou a população a se adaptar uma nova realidade. Inclusive, os médicos, pacientes, planos de saúde, hospitais e consultórios.

O atendimento médico à distância se tornou essencial, e as pessoas perceberam que a Telemedicina poderia ser utilizada em qualquer especialidade.

Para entender melhor como a Telemedicina funciona no Brasil, separamos suas principais vertentes.

Vertentes da Telemedicina

  • Telessaúde: contempla toda e qualquer prática da Telemedicina prestada no âmbito da saúde pública;
  • Teleconsulta: se refere a consultas médicas realizadas à distância, sejam elas por videoconferência, ligação ou troca de mensagens;
  • Teleorientação: diferente da Teleconsulta, a Teleorientação não chega a ser uma consulta, na qual é realizada avaliações e diagnósticas. Normalmente, ela se refere apenas a orientações médicas enviadas por meio da internet;
  • Telecirurgia: permite que os cirurgiões realizem cirurgias de qualquer lugar, por meio de robôs da Telemedicina, que contam com braços mecânicos precisos e microcâmeras.

Telemedicina por especialidade médica

  • Telepediatria;
  • Telerradiologia;
  • Telepsiquiatria;
  • Teledermatologia;
  • Telecardiologia.

A Telemedicina já está presente no Brasil há muitos anos, como no caso do Programa de Telessaúde Brasil Redes, ou grandes instituições como o Hospital Albert Einstein, que conta com cirurgiões-robôs. 

Porém, antes de 2020, o que regulamentava a Telemedicina era a resolução n° 1.643/2002 do CFM, uma regularização que não englobava práticas como a Teleconsulta

Em 2018, o CFM tentou regularizar a Telemedicina de forma completa, mas devido a diversas polêmicas e discussões geradas, decidiu revogar rapidamente sua decisão. 

Tudo apontava que em 2020, mesmo antes da pandemia, o CFM iria oficializar a Telemedicina no Brasil. 

Hoje, porém, ela é permitida apenas durante a crise de COVID-19, como expressa a lei n° 13.989, e o ofício n° 1.756.

Isso significa que no período pós-pandemia, o Conselho Federal de Medicina deve buscar novamente uma nova regularização. 

Diversos profissionais de saúde acreditam que não é mais uma questão se a Telemedicina será regularizada ou não, e sim como ela será praticada no Brasil

Leia um trecho adaptado do estudo da Revista Bioética citada mais acima:

“Hoje, não mais cabe discutir se as tecnologias serão ou não utilizadas, mas como essas informações vão ocorrer ao longo do tempo com segurança e proteção da confidencialidade.”

Afinal, agora que os pacientes e médicos vivenciaram as vantagens da Telemedicina, dificilmente irão querer voltar a uma rotina que ela não era permitida. 

e-book auditoria concorrente

Por isso, é essencial que as operadores de saúde conheçam a Telemedicina, e saibam quais são as suas vantagens.

Principais vantagens da Telemedicina

Ao longo do conteúdo, você já conheceu alguns benefícios da Telemedicina. Porém, precisamos enfatizar três vantagens que irão fazer toda a diferença para sua instituição.

1. Democratização do acesso à saúde

Quantos pacientes não recebem o tratamento médico adequado por morarem em regiões sem especialistas?

Com a Telemedicina, a distância deixa de ser um obstáculo para os pacientes que moram em regiões de difícil acesso, ou têm muita dificuldade para se locomover até um hospital ou consultório, como os pacientes pós-operatórios.

Além de democratizar o acesso à saúde para a população, a Telemedicina também conecta as instituições de saúde, assim como seus profissionais, com extrema facilidade. 

Esse benefício contribui para um tratamento de mais qualidade para os pacientes, e na especialização médica dos profissionais de saúde, assim como debates sobre casos clínicos.

2. Redução de custos

Ao evitar que os pacientes gastem recursos com locomoção, a Telemedicina também contribui para a redução de custos da área da saúde.

Não é apenas a economia que o atendimento à distância afeta. Como os profissionais de saúde podem atender pacientes de qualquer lugar, o público-alvo também aumenta

Ou seja, ao praticar a Telemedicina, as instituições e operadores de saúde podem aumentar sua rentabilidade.

3. Diminuição da superlotação de estabelecimentos médicos

Na Medicina tradicional, a triagem de pacientes é feita presencialmente nos hospitais, clínicas e consultórios médicos. 

Com a Telemedicina, você pode realizar um primeiro atendimento médico à distância, e definir exatamente para qual profissional ou instituição o paciente deve ir. 

Dessa forma, os estabelecimentos que antes estavam constantemente lotados, conseguem focar nos pacientes que de fato, precisam de um atendimento emergencial.

Para hospitais e operadoras de saúde, esse é um ótimo diferencial que pode fazer toda a diferença para o sistema de saúde do país.

Essas foram as três principais vantagens da Telemedicina, mas não se esqueça existem diversos benefícios que sua instituição só pode vivenciar na prática. 

Quer aprofundar seu conhecimento sobre a Telemedicina no Brasil? Baixe o eBook gratuito.

Gostou do conteúdo? Não esqueça de se inscrever na nossa newsletter para receber semanalmente conteúdos estratégicos em saúde.

indicadores de auditoria em saúde