banner ebook auditoria em saúde

O SADT — Serviço de Apoio Diagnóstico Terapêutico — é uma modalidade de prestação para a realização de exames complementares no cuidado da atenção básica e especializada. Assim, seu objetivo é ajudar no diagnóstico correto dos pacientes.

Além disso, ele é utilizado para informar às operadoras de plano de saúde sobre os procedimentos realizados durante as consultas. Para isso, é preciso preencher corretamente a guia. 

Mas, você sabe como fazer isso? Se você tem dúvidas, não deixe de acompanhar este post. A seguir, você entenderá o que é SADT, qual a importância das guias e como preenchê-las sem erros. Acompanhe!

Afinal, o que é SADT?

Como já comentamos, o Serviço de Apoio Diagnóstico Terapêutico, também chamado de Serviço de Apoio à Diagnose e Terapia, é um tipo de prestação de serviços que tem como objetivo auxiliar no diagnóstico. Para isso, utiliza recursos de uma fonte financiadora, como as operadoras de plano de saúde.

Desse modo, o SADT pode ser utilizado para qualquer tipo de serviço de diagnóstico ou terapia, como laboratórios de análises clínicas ou anatomia patológica, ultrassonografia, radiologia, ressonância magnética, exames cardiológicos, entre outros.

Assim, as operadoras de plano de saúde conseguem ter acesso aos procedimentos que o paciente realizou durante as consultas, permitindo mais controle na solicitação e emissão de resultados dos exames. Mas, para isso, o profissional precisa preencher corretamente as guias.

E qual a importância da SADT?

Como você viu, a Guia SADT é essencial para que o paciente possa realizar os exames que o profissional da saúde solicitou. Portanto, ela serve para esclarecer qual é o diagnóstico e qual procedimento o paciente realizará. Em seguida, deve enviar o documento ao convênio.

Em geral, utiliza-se um software integrado, isto é, um sistema informatizado para fazer a guia. Nele, devem constar a lista de serviços e especialidades que as unidades oferecem.

Mas, como preencher a Guia SADT?

Preencher corretamente a Guia SADT é de extrema importância para que o paciente tenha acesso aos procedimentos que necessita. A seguir, confira um passo a passo para fazer isso sem erros.

1. Introdução

Antes de mais nada, forneça o registro da operadora do plano de saúde na ANS — Agência Nacional de Saúde Suplementar. Além disso, preencha:

  • o número da guia;
  • a data em que o plano de saúde a emitiu;
  • número da carteira;
  • nome do plano que consta no contrato do paciente.

2. Beneficiário

A etapa seguinte se refere às informações do paciente, como nome completo, RG, CPF e endereço. Vale lembrar que todos esses dados estão no contrato do convênio.

e-book auditoria concorrente

3. Solicitante

Após, é preciso preencher os dados do médico que está solicitando os procedimentos. Portanto, preencha com seus dados pessoais, bem como a sigla do Conselho Profissional ao que ele pertence.

4. Caráter da solicitação

Nesse ponto, é preciso informar se a solicitação é de caráter eletivo ou de emergência. Para isso, basta colocar as iniciais E ou U respectivamente.

5. Indicação clínica e descrição do procedimento

Agora, informe o tipo de especialidade médica e descreva o procedimento médico pelo qual o paciente deverá passar. Mas, atenção: a descrição deve ser bem detalhada porque qualquer falha ou ausência de informação pode prejudicar a maneira de realizar o procedimento.

6. Quantidade de procedimentos

Informe a quantidade de procedimentos diferentes que o médico solicitou e, em seguida, a quantidade de vezes que cada um dos procedimentos deve ser feito.

7. Contratado

Em seguida, preencha os dados da empresa na qual o paciente realizará os procedimentos. Também é preciso incluir o CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde) e o número e a sigla do conselho profissional do médico.

8. Código do atendimento

Para conhecimento, os códigos de acordo com os procedimentos são os seguintes:

  • remoção;
  • pequena cirurgia;
  • terapia;
  • consulta;
  • exame;
  • atendimento domiciliar;
  • SADT Internado;
  • quimioterapia;
  • radioterapia;
  • Terapia Renal Substitutiva.

9. Código de saída

Preencha de acordo com os seguintes códigos:

  • retorno;
  • retorno com SADT;
  • referência;
  • internação;
  • alta;
  • óbito.

10. Data do procedimento

A seguir, basta preencher em qual data os procedimentos serão realizados.

11. Valores dos procedimentos

Por fim, é necessário informar os valores dos procedimentos. Para isso, o ideal é descrever o preço de cada um e, ao final, apresentar o valor total.

Portanto, o SADT é uma modalidade essencial para ajudar na manutenção da saúde dos pacientes. Por fim, tem papel importante na tomada de decisões nas operadoras de planos

E para que esse serviço funcione corretamente, é essencial preencher a guia de acordo com o passo a passo que descrevemos acima.

Podemos apostar que você gostou de saber os detalhes sobre a Guia SADT. Afinal, a Carefy é especialista em simplificar o dia a dia da gestão de pacientes internados e auditoria em saúde. Conheça mais sobre essa otimização!

indicadores de auditoria em saúde