banner ebook auditoria em saúde

A família e o ambiente familiar é algo discutido bastante na prática clínica. Mas qual o papel que ela exerce no cuidado domiciliar e qual sua importância? Confira na leitura a seguir. 

O que é cuidado domiciliar

Cuidado domiciliar consiste no conjunto de ações direcionadas ao beneficiário no seu lar. Essas ações podem envolver insumos, medicamentos, tratamentos e até serviços prestados pela equipe especializada em home care.

Cuidado domiciliar envolve um conjunto de ações direcionadas para o beneficiário no seu domicílio. Essas práticas podem envolver insumos, medicamentos, tratamentos e até serviços prestados pela equipe especializada em home care.

Esse serviço objetiva a melhora do desfecho do paciente em casa.

Sua importância

O cuidado domiciliar é considerado uma prática essencial pois proporciona tudo o que é pertinente à saúde do beneficiário no seu lar.

Se o internado necessita de uma cadeira de rodas, por exemplo, é responsabilidade da instituição de saúde prover esse equipamento.

E, em situações em que o quadro clínico do internado exige o acompanhamento da equipe de home care, o mesmo será direcionado.

Ou seja, o paciente receberá todo o apoio para que a sua recuperação ocorra da melhor forma.

Além disso, essa modalidade de cuidado exerce extrema importância pois permite que o paciente se recupere em um ambiente familiar.

Ainda, a realização da atenção domiciliar diminui os custos de atendimento, uma vez que, os gastos de ambientes hospitalares como o centro cirúrgico e outros espaços das instituições de saúde, são significativos.

O papel da família no cuidado domiciliar

Já percebemos que a atenção domiciliar é importante para a recuperação do paciente, mas você sabe qual o impacto da família nesse contexto?

e-book auditoria concorrente

Estar próximo às pessoas que o paciente tem conexão,  principalmente aos membros do lar que ele possui laços familiares mais fortes, faz toda a diferença no desfecho clínico.

Isso possibilita que ele se sinta mais feliz, confortável e com menos estresse.

Além de que, esse ambiente permite que a família fique de olho na saúde do paciente e, qualquer ponto de atenção que for observado, pode ser comunicado para a equipe médica.

Torna-se essencial levar em consideração que o papel da família nesse contexto é de apoio, principalmente psicológico.

A família também exerce o papel de confortar o paciente e tranquilizá-lo sobre a sua recuperação.

Estar em contato com seus hábitos e costumes rotineiros realizados com essas pessoas, como passar tempo de qualidade com seus entes queridos, são práticas que podem colaborar para a melhora da sua condição clínica.

Ainda, não estar em contato com outros pacientes enfermos e com diversos casos de emergência, o que ocorre a todo momento em um hospital, impacta de forma positiva no emocional do paciente.

Além do conforto psicológico, o conforto físico, que é mais propício em casa, em relação às macas do hospital, proporciona bem estar para o paciente.

Tudo isso colabora para que a sua experiência de cuidado do paciente seja satisfatória e traga ganhos para a sua saúde e, permite ainda com que  a instituição de saúde se mantenha competitiva no mercado.

Gostou do conteúdo? Inscreva-se na nossa newsletter e fique por dentro dos nossos conteúdos. 

indicadores de auditoria em saúde