banner ebook auditoria em saúde

O que é segurança do paciente

A segurança do paciente consiste no conjunto de ações realizadas por instituições de saúde afim de garantir o bem estar e a segurança do cuidado prestado ao paciente e evitar a ocorrência de possíveis danos e lesões que podem prejudicar a saúde do internado.

A importância da segurança do paciente

segurança do paciente

A segurança do paciente é importante todos os dias do ano. De acordo com a OMS, cerca de 134 milhões de eventos adversos ocorrem a cada ano em hospitais nos países de baixa e média renda, contribuindo para 2.6 milhões de mortes anualmente devido a cuidados inseguros.

A cada 10 pacientes, 4 são prejudicados nos cuidados primários e ambulatoriais.

Tudo isso gerando também impacto nos custos, onde erros de medicação custam cerca de 42 bilhões de dólares anualmente.

Cultura da segurança do paciente na internação hospitalar

Quando falamos de internação, vários autores trazem dados alarmantes sobre a segurança do paciente. 

Por exemplo: Um em cada dez pacientes internados acabam desenvolvendo algum tipo de evento adverso.

Já em pacientes cirúrgicos, um evento adverso relacionado ao uso de medicação é identificado a cada duas cirurgias.

Por isso, a cultura da segurança do paciente deve ser incorporada por profissionais, instituições de saúde e prestadores de serviço. É preciso que esta seja uma pauta de discussões e que protocolos sejam seguidos a fim de garantir essa segurança. 

Como garantir a segurança do paciente durante a internação

segurança do paciente

E você, como está trabalhando para garantir a segurança dos pacientes? Aprenda como aumentar a segurança dos processos da sua operação com as nossas dicas a seguir:

1. Siga protocolos

Para assegurar que o cuidado em saúde seja realizado de forma segura, torna-se necessário seguir protocolos na instituição de saúde.

Adequar os processos da operação aos principais protocolos de segurança e adotar medidas de segurança é uma tarefa que exige constante melhoria do processo. Confira 3 dentre os 10 os principais protocolos para garantir a segurança do paciente:

Identificação do paciente

Já pensou em qual seria o impacto no estado clínico de dois pacientes ao trocar o tratamento que eles seriam direcionados?

Por exemplo, se para o paciente 1 era necessário a administração intravenosa de um fármaco cardiovascular e para o paciente 2 era importante realizar uma cirurgia no cólon.

A identificação entre os pacientes foi trocada, os efeitos colaterais dessa falha, nesse caso, são irreversíveis e afetam de maneira grave a saúde de ambos internados.

Ou seja, são inúmeras as consequências provenientes da não realização de forma correta desse protocolo. Pensando nisso, é de extrema importância definir e acompanhar o cumprimento de medidas de segurança em saúde para proporcionar ao internado o cuidado adequado a sua situação.

Prevenção de úlcera por pressão

A permanência do paciente em um longo período de tempo na mesma posição pode ocasionar a falta de oxigenação na superfície da pele e aliada a alta pressão que ela realiza sobre a superfície, pode desenvolver a ferida conhecida como úlcera por pressão.

Monitorar esses pacientes e definir sinalizações para evitar que ocorra esse tipo de evento adverso que pode comprometer a segurança do paciente é de extrema importância para os serviços de saúde.

Na plataforma do Carefy, a ferramenta de sinalização é possível acompanhar de forma remota e em tempo real os casos em que os pacientes permanecem um extenso período acamados sem se movimentarem. 

e-book auditoria concorrente

O profissional de saúde responsável é notificado através do nosso sistema sobre possíveis inconformidades em relação a esses internados, afim de evitar essa ferida, o que reduz a ocorrência de eventos adversos na instituição e a diminuição de gastos desnecessários com o paciente.

Cirurgia segura

São exorbitantes os custos gastos com cirurgias no contexto hospitalar. Realizar a cirurgia de forma segura e assertiva pode auxiliar o serviço de saúde a garantir a segurança do paciente, o que evita a ocorrência de incidentes e efeitos colaterais, a necessidade de reinternação do paciente, e em casos mais graves podem ocasionar a mortalidade cirúrgica.

Logo, definir e acompanhar a execução de protocolos para realizar as cirurgias com segurança é um importante ponto de atenção para diminuir custos e prezar pela segurança do paciente.

2. Gerencie a informação de prontuários eletrônicos

segurança do paciente

Outro ponto importante que deve ser levado em consideração consiste em padronizar e centralizar as informações para que o gerenciamento de todos os dados do paciente ocorra de forma otimizada.

De modo que, permita o acesso de todas as equipes ao que acontece com o internado e a interoperabilidade seja propulsora da garantia do cuidado com o paciente.

O Carefy centraliza e padroniza todas as informações o que permite com que equipes internas e externas da operadora de saúde tenham acesso de forma remota e em tempo real aos dados do internado, o que minimiza erros decorrentes a perda de informações no processo e diminui os gastos desnecessários.

3. Use relatórios de acompanhamento

Monitorar o cumprimento desses protocolos e ter controle dos processos relacionados à segurança do paciente podem ser consideradas tarefas desafiadoras se realizadas de forma manual.

Com a utilização de tecnologias inovadoras é possível garantir a segurança do paciente.

Através do acompanhamento de relatórios, análise de indicadores e monitoramento através dos dashboards com diversas métricas. Conheça as principais funcionaldiades do Carefy para segurança do paciente:

  • Relatório de eventos adversos;
  • Sinalização de possíveis inconformidades;
  • Reinternações;
  • Média de permanência;
  • Reinternação no período;

Para saber mais sobre o Carefy e como ele pode aumentar a eficiência da sua operação em saúde e garantir a segurança do paciente, fale com nosso tiime de especialistas para marcar a sua demonstração gratuita.

Referências

WORLD HEALTH ORGANIZATION et al. The WHO collaborating centre on patient safety, the World Alliance for Patient Safety and the Commonwealth Fund announce action on patient safety (High 5s) initiative. 2012.

AHRQ – AGENCY FOR HEALTHCARE RESEARCH AND QUALITY. Efforts to improve patient safety result in 1.3 million fewer patient harms: interim update on 2013 annual hospital-acquired condition rate and estimates of cost savings and deaths averted from 2010 to 2013. Publication n.15-0011-EF. Rockville, MD. 2014.

NANJI, K. C. et al. Evaluation of perioperative medication errors and adverse drug events. Anesthesiol., v.124, n.1, p.25-34, 2016.

indicadores de auditoria em saúde