banner ebook auditoria em saúde

A instituição da Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses/Próteses e Materiais Especiais no SIGTAP foi feita pela Portaria GM nº 321 de fevereiro de 2007 e publicada pela Portaria GM nº 2848 de novembro de 2007. Entenda o que é o sistema SIGTAP, qual sua função na auditoria em saúde, como baixar e sua relação com a tabela do SUS. 

O que é SIGTAP

O Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS (SIGTAP) é um instrumento de gestão que permite o acesso à Tabela de Procedimentos do SUS e o acompanhamento das alterações realizadas a cada competência, detalhando as características dos procedimentos, compatibilidades e relacionamentos.

Por meio dela é possível gerar relatórios e notas de forma mensal, inserindo as principais alterações realizadas na Tabela de Procedimentos e os documentos que as originaram.

Ela permite consultar procedimentos de acordo com:

  • Grupo
  • Subgrupo
  • Forma de organização
  • Origem
  • Documento de Publicação 
  • Competência.

Diferente do que alguns pensam, o SIGTAP não é a tabela do SUS. SIGTAP é o ambiente virtual que permite a consulta da Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses/Próteses e Materiais Especiais (OPM) do SUS. 

Qual a sua função?

É através do SIGTAP que se pode conhecer as características totais de um procedimento, tais como tipo de financiamento, instrumento de registro, valor, CBO, CID, serviço/classificação, habilitações, incrementos financeiros, complexidade, assim como outros.

Ainda, dentro da ferramenta é possível extrair diversos relatórios como o de relacionamento e o de compatibilidade entre procedimentos que norteiam as ações do faturamento da conta hospitalar.

Assim, é uma ferramenta que traz todas as informações necessárias ao faturamento do SUS e essencial para a auditoria em saúde. No entanto, um problema da tabela é a defasagem dos valores praticados que não são reajustados há 17 anos.

Como é organizada a tabela

A Tabela de Procedimentos do SUS, como é conhecida, é estruturada em: Grupos, Subgrupos e Forma de Organização. 

A Tabela de Procedimentos do SUS é organizada por Grupos, Subgrupos e Forma de Organização.

Segundo o Datasus, o Grupo agrega os procedimentos, medicamentos e OPMs de acordo com a área de atuação e finalidade das atitudes a serem tomadas. Já o Subgrupo agrupa de acordo com o tipo da área de atuação e a Forma de Organização leva em consideração a área atômica, especialidade, tipos de OPM, tipos de exames e tipos de cirurgias. 

Assim, ao buscar um procedimento, medicamento ou OPM o mesmo será organizado em seu respectivo grupo, subgrupo e forma de organização. Veja o exemplo ao buscar o Tratamento de Diabetes Mellitus na tabela: 

Fonte: SIGTAP – DATASUS

Já a codificação acompanha sua organização, tendo cada Grupo, Subgrupo e Forma de Organização um código específico de identificação. Ainda, os últimos dígitos correspondem aos números sequenciais dentro da Forma de organização e o último sendo o dígito verificador. 

Dessa forma fica mais simples de entender. Confira a codificação na imagem a seguir:

Fonte SIGTAP – DATASUS

e-book auditoria concorrente

Como acessar e fazer download

O sistema está disponível tanto na versão web para acesso online com conexão à internet como na versão para download para Desktop, permitindo trabalhar sem acesso à rede.

Para acessar a versão online entre no site do SIGTAP no DATASUS: http://sigtap.datasus.gov.br e clique em “Acessar Tabela Unificada”. 

Já para baixar a versão Desktop, entre no mesmo endereço eletrônico e clique em Download no menu superior direito.

Legislação

A legislação que regula esse sistema de gestão  da Tabela de Procedimentos do SUS é regida pela Portaria de Consolidação nº 1, de 28 de setembro de 2017, confira abaixo:

Seção VII

Da Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses/Próteses e Materiais Especiais – OPM do Sistema Único de Saúde SUS

Art. 324. Fica instituída a Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses/Próteses e Materiais Especiais (OPM) do Sistema Único de Saúde (SUS). (Origem: PRT MS/GM 321/2007, Art. 1º)

§ 1º A Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS passa a ser utilizada por todos os sistemas de informação da atenção à saúde do SUS e estará disponível no endereço eletrônico http://sigtap.datasus.gov.br. (Origem: PRT MS/GM 321/2007, Art. 1º, § 1º)

§ 2º A estrutura e a lógica de organização da Tabela instituída no caput deste artigo estão descritas no Anexo XVII . (Origem: PRT MS/GM 321/2007, Art. 1º, § 2º)

Na portaria de consolidação 1/2017, todos os artigos do CAPÍTULO III DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE, da Seção VII Da Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses/Próteses e Materiais Especiais – OPM do Sistema Único de Saúde SUS, além do Anexo XVII, referenciam a Portaria GM 321/2007, que foi revogada por consolidação no Art. 560.

Outras tabelas

Já na saúde suplementar, existem outras tabelas que podem ser consultadas e usadas como referência para nortear o faturamento hospitalar neste setor.

A tabela Brasíndice, por exemplo, é uma tabela utilizada para consultar valores de serviços na área da saúde para padronizar preços e facilitar contratos entre hospitais e operadoras de planos de saúde, por exemplo.

Aa suas principais funcionalidades são:

  • Indicar o preço máximo ao consumidor;
  • Servir como base para calcular cobrança de medicamentos;
  • Digitizar o processo de consulta à Pesquisa de Preços de Medicamentos;

Sendo assim, ela representa um instrumento largamente utilizado na auditoria de contas médicas. 

Ainda, temos a tabela CBHPM que é utilizada para o cálculo e cobrança dos honorários médicos, sendo essencial para uma remuneração justa dos profissionais de saúde. 

Gostou do conteúdo?! Inscreva-se na nossa newsletter para receber semanalmente conteúdos estratégicos sobre gestão em saúde.

indicadores de auditoria em saúde