e-book indicadores de internação

A regulação médica é um processo necessário para garantir que todos os tratamentos e produtos médicos sejam seguros para o público. Esse processo pode ser demorado e, geralmente, envolve muita papelada.

No entanto, graças aos avanços da inteligência artificial, o processo de regulação médica agora pode ser simplificado e mais eficiente. Isso se deve à possibilidade de automatizar decisões e diagnósticos, permitindo aprimorar seus resultados e produtividade.

Neste artigo, você entenderá como a regulação médica pode ser aprimorada por meio da tecnologia por trás da inteligência artificial. Confira!

O que é regulação médica?

A regulação médica é o processo que garante que todos os profissionais da saúde sejam competentes e sigam as mesmas diretrizes ao prestar cuidados aos pacientes. Isso é feito por meio de uma variedade de métodos, incluindo licenciamento, registro e certificação.

O principal objetivo da regulação médica é distribuir os recursos de maneira efetiva em situações de atendimento ao paciente. Ou seja, a ideia é seguir um padrão que atenda às necessidades de cada quadro médico e, assim, um serviço satisfatório seja prestado.

Quaisquer erros durante a regulação médica podem fazer com que o paciente receba os recursos incorretos e as instituições de saúde envolvidas tenham prejuízos ou desperdicem seus materiais. Então, esse processo precisa ser realizado com o máximo de cuidado e atenção.

Como a inteligência artificial ajuda na regulação médica?

A inteligência artificial já é usada na área médica há vários anos para ajudar nas opções de diagnóstico e tratamento. Agora, ela também está sendo usada para ajudar no processo de regulação médica, melhorando a precisão e a eficiência dos padrões em dados que, de outra forma, seriam perdidos por humanos.

Quer saber mais? A seguir, veja 5 maneiras que a inteligência artificial pode ajudar no processo de regulação médica.

1. Revisão de registros de pacientes

A inteligência artificial é um recurso bastante valioso para a identificação de erros e prevenção de problemas. Isso é importante, especificamente, para que seja possível revisar registros de pacientes como parte do processo de regulação médica.

É comum que informações incorretas ou que não coincidem possam ser incluídas nesses registros, o que pode causar problemas para o atendimento e o uso de recursos do provedor.

2. Processo de aprovação de novos medicamentos

O processo de aprovação de novos medicamentos é algo que demanda um tempo que pode ser empregado de outras formas durante o atendimento ao paciente. Felizmente, a inteligência artificial se mostra um recurso capaz de agilizar essa etapa.

A partir dessa tecnologia, também é possível diminuir a incidência de erros nesse processo tão importante. O sistema será capaz de identificar as necessidades de cada caso e direcionar as aprovações mais recomendadas.

3. Desenvolvimento de modelos de diagnóstico

A elaboração de modelos de diagnóstico é algo que agiliza bastante o atendimento e também otimiza o uso dos recursos médicos. Portanto, é uma boa notícia que a inteligência artificial pode ser empregada para atuar nessa etapa.

Assim, a regulação médica se torna mais eficaz porque a instituição trabalha sempre com os melhores modelos para cada caso. 

4. Criação de materiais de treinamento para profissionais da saúde

Outro aspecto importante da regulação médica é treinar adequadamente os profissionais de saúde para que possam oferecer o melhor atendimento ao paciente e fazer o uso devido dos recursos hospitalares.

A inteligência artificial é um recurso valioso que ajuda na criação de materiais direcionados a esses profissionais. É possível levar em consideração as principais dificuldades do time e as características únicas da instituição de saúde.

5. Definição de novos padrões de atendimento

É sempre saudável contar com formas de criar padrões de atendimento otimizados. Tanto a operadora de plano de saúde quanto a instituição hospitalar podem se beneficiar com isso ao entregar mais qualidade e eficiência ao paciente.

A inteligência artificial é capaz de fazer isso ao se basear no funcionamento convencional dos processos de saúde. 

Ou seja, as particularidades dos seus atendimentos são levadas em consideração para criar padrões que façam sentido para a realidade de cada situação.

Nova legislação para reger o uso da inteligência artificial

A inteligência artificial pode ajudar em muitos aspectos da regulação médica, incluindo a revisão de dados do paciente para identificar possíveis riscos à saúde e fornecer suporte para a tomada de decisões regulatórias.

Dessa forma, a inteligência artificial também levanta novos desafios e questões. Portanto, há uma necessidade de nova legislação para governar o uso de inteligência artificial na regulação médica.

Além disso, os reguladores devem trabalhar em estreita colaboração com especialistas em tecnologia para garantir que a IA seja usada com segurança e eficácia.

Essa tendência significa que os sistemas de IA podem agir de forma autônoma em nome de profissionais de saúde e isso tem implicações na forma como regulamos profissões e atividades na sociedade.

Por exemplo, se a IA assume cada vez mais o papel de um médico, então precisamos pensar sobre como isso pode impactar na regulamentação da profissão.

Treinamentos para usar a inteligência artificial na regulação médica

Para usar a inteligência artificial na regulação médica de forma eficaz, os profissionais precisam ter um bom entendimento da tecnologia de IA e da área médica. Eles também precisam de treinamento sobre como usar a IA para fins regulatórios.

Felizmente, existem muitos programas disponíveis que oferecem esse tipo de treinamento. Não é preciso se tornar um desenvolvedor focado em programação, mas sim entender o funcionamento da IA e fazê-la funcionar a favor de seus objetivos.

Ao implementar qualquer nova tecnologia, é fundamental que exista a preocupação em treinar seus futuros usuários em todas as funcionalidades dela. Somente assim será possível extrair o máximo de valor dessa solução.

Como você viu neste artigo, a inteligência artificial já está sendo usada para ajudar com a regulação médica de várias maneiras. 

Ao automatizar e otimizar processos, a IA pode ajudar profissionais de auditoria a tomar melhores decisões sobre o atendimento ao paciente. No entanto, é preciso se preparar para os desafios inerentes a esse tipo de tecnologia.

Para isso, nós, da Carefy, podemos te ajudar. No nosso blog, você encontra os principais assuntos e tendências da tecnologia para a área médica. Confira e traga um novo olhar para sua operadora!

Banner Material Módulos da Carefy – 2