Toda instituição de saúde passa por momentos de mudanças, importante para seu desenvolvimento. Geralmente a transição pode ser causada por momentos disruptivos, que fazem com que a mudança aconteça brutamente. Ou podem ser planejadas e realizadas em momentos corretos. 

Seja qual for o caso, é importante analisar certos indicadores. Que servirão como uma base para avaliar o desempenho da instituição. É agora que os indicadores hospitalares entram em ação.

indicadores hospitalares

Como o próprio nome diz, eles permitem indicar certos aspectos na organização, como seu desempenho. Visando melhorar, reformular e até mesmo ponderar se aquele serviço é benéfico para a instituição. 

No artigo de hoje, mostraremos 10 indicadores hospitalares que você precisa ter em sua gestão. Boa leitura! 

Para que servem os indicadores hospitalares? 

Conforme falado acima, os indicadores visam, analisar o desempenho de uma organização, tendo como base, a logística, os gastos e o modo operacional.

Ao considerar os indicadores hospitalares, a instituição conseguirá analisar e metrificar diversos tipos de fatores, reduzindo consideravelmente erros. Traçando estratégias eficazes para o aprimoramento da gestão. 

É importante citar que os indicadores podem ser decididos pela própria organização, observando suas necessidades atuais. Dessa maneira se consegue criar as melhorias necessárias para aquele quadro interno. 

10 indicadores hospitalares para uma boa gestão

1. Taxa de ocupação 

A taxa de ocupação de leitos é importante para a gestão da instituição. Ela é a taxa da quantidade de pacientes atendidos e a quantidade de leitos do local. Com esse fator é possível ter informações sobre os leitos disponíveis, a logística dos pacientes entre os leitos.  

Com essas informações há um controle eficiente dos leitos da instituição. Além de que também se consegue analisar a performance dos leitos, se estão dando algum tipo de problema ou se estão conseguindo suportar as atividades diárias. 

Se por acaso a taxa de ocupação seja muito alta, isso significa que um crescimento do local precisa ser feito. 

2. A experiência do paciente 

Este indicador visa observar como está sendo a experiência do paciente enquanto vínculo com a instituição. Está relacionado ao tempo que o paciente é atendido dependendo de sua emergência ao chegar no local, ao cuidado que os profissionais estão tendo, a média de permanência, etc. Basicamente desde sua entrada até a saída da instituição. 

Monitorar e garantir uma boa jornada do paciente é fundamental para qualquer instituição, desde hospitais até operadoras de saúde

Proporcionar essa experiência benéfica, garante mais credibilidade para a instituição.

3. Taxa de mortalidade 

A mortalidade numa instituição de saúde não é fora do comum. Apesar de todos os cuidados que as instituições têm com os pacientes, o quadro pode não melhorar e infelizmente vir a óbito. 

Porém, apesar de não ser um evento fora do comum. Quando um local possui uma alta taxa de mortalidade, isso significa que certas atividades não estão sendo operadas da maneira correta. 

Ao analisar a taxa de mortalidade é possível descobrir os motivos da alta taxa e planejar ações para diminuir a ocorrência desses acontecimentos. 

4. Indicadores financeiros 

Este indicador é referente ao retorno financeiro que a instituição está tendo em um determinado período estipulado pela mesma. É possível acompanhar se o faturamento está em lucro ou não, bem como os gastos que estão tendo, o que precisa ser alterado, comprado, etc. 

Aqui entram também estratégias para a instituição alcançar a sustentabilidade econômico-financeira. 

5. Produtividade da equipe 

Uma equipe satisfeita reflete em sua produtividade. É importante saber com quais profissionais estão trabalhando. Uma vez que é possível analisar a quantidade de funcionários por cada setor, os afastamentos, a quantidade de faltas. 

Também é possível desenvolver atividades para o maior fortalecimento das relações interpessoais dos funcionários. Atividades de imersão, treinamentos periódicos. Os funcionários são uma parte essencial na instituição e por isso é fundamental haver essa análise para a melhor tomada de decisão. 

6. Ociosidade do leito 

Ociosidade do leito se refere a quanto tempo um leito está desocupado. Basicamente visa observar e calcular o tempo que o leito está desocupado, calculando desde a entrada do paciente, o tempo de permanência no leito e a saída. O tempo de troca de pacientes entre o leito também é calculado. 

É importante reunir o máximo de informações, pois um leito desocupado não gera receita para a instituição, e também um leito lotado causa problemas de atendimento daqueles que esperam por uma cirurgia, afetando sua experiência, enquanto sob cuidados do hospital.  

Com essas infrações em mãos, é possível traçar estratégias para contornar a situação. 

7. Tempo médio de permanência 

O tempo médio de permanência de um paciente no hospital. Dentro desse indicador, estão os pacientes nos leitos, os pacientes que estão sendo atendidos, mas não estão internados e o número de óbitos. Este indicador está ligado também ao financeiro das instituições. 

Por exemplo, um paciente está há muito tempo internado, gerando custos, provavelmente esse paciente é beneficiário de algum plano de saúde ofertado por uma operadora. 

Quanto mais tempo ele passa na instituição, mais gastos gera para a operadora, consequentemente nesse tempo, glosas podem ocorrer, gerando problemas para a instituição e a operadora. 

Por isso é pertinente realizar o cálculo preciso do tempo de internação, evitando que eventos adversos ocorram que corroborem para problemas futuros. 

8. O faturamento da instituição

Indicador da área administrativa, é responsável por calcular os gastos da instituição, ou seja, as contas a pagar e a receber. Todo processo que envolva verba, precisa ser calculado e arquivado.

Aqui também é calculada as glosas médicas, os procedimentos efetuados por convênios, e os demais procedimentos internos da instituição. 

Vale ressaltar que a tecnologia é uma aliada, o auxílio de softwares de gestão, é possível evitar erros e principalmente as glosas, relacionadas às contas hospitalares. 

9. Produtividade da clínica

Se refere a performance geral que a instituição está tendo com suas atividades diárias. É papel do gestor verificar a produtividade das áreas, visando o aumento da mesma. 

Analisar as áreas que estão tendo um maior destaque, bem como as que estão abaixo do esperado. Para assim, haver a implantação de investimentos nessas áreas. Consequentemente aumentando a produtividade de ambas. 

É papel do gestor também verificar o que está dando certo ou não na instituição. Descartar o que está menos eficiente (podendo trazer prejuízo financeiro) e implementar melhorias para os demais. 

10. Matriz SWOT 

A análise SWOT pode ser considerada um indicador: ela está ligada ao fator de mudança e da instituição. Com o auxílio da matriz SWOT na sua instituição de saúde, é possível prever o que ameaça sua instituição, seus pontos fortes, pontos fracos, e suas oportunidades.

Veja que esses fatores estão ligados aos demais indicadores acima. Por isso não é descartável o uso da matriz SWOT como um indicador para a melhora da gestão da instituição. 

Temos este conteúdo completo a respeito da matriz SWOT na saúde. Confira!

Como a tecnologia auxilia nos indicadores hospitalares? 

É indispensável esquecer de falar sobre a tecnologia, afinal ela faz parte do nosso cotidiano. Com o auxílio da tecnologia é possível colher dados e informações precisas de sua instituição. Evitando que erros e eventos adversos sejam recorrentes. 

Por exemplo, com a tecnologia é possível proporcionar uma melhor qualidade na experiência do paciente, pois com seus dados em mãos, consegue proporcionar um atendimento diversificado voltado para o paciente em específico. 

Com o auxílio da Carefy, esse tipo de atividade se facilita e acessível para toda a equipe. O software facilita o acompanhamento do paciente, proporcionando a visão completa de sua jornada para os gestores. 

Além disso, ele conta com sistemas que tornam a gestão mais integrada, contando com inteligência artificial, a tomada de decisão de um gestor acaba se tornando mais tranquila. Fale com nosso time de especialistas e agende uma demonstração gratuita

Banner Material Módulos da Carefy – 2