banner ebook auditoria em saúde

Embora muito se fale sobre a NEAD, existem muitas dúvidas pertinentes ao conceito e uso da ferramenta. 

Este artigo vai sanar as principais dúvidas sobre o tema.

Continue a leitura e descubra o que você precisa saber sobre NEAD e a relação com o cuidado domiciliar no desfecho do paciente. 

O que é cuidado domiciliar?

Cuidado domiciliar envolve um conjunto de ações direcionadas para o beneficiário no seu domicílio. 

Essas práticas podem envolver insumos, medicamentos, tratamentos e até serviços prestados pela equipe especializada em home care.

Esse serviço objetiva a melhora do desfecho clínico do paciente em casa.

A importância do cuidado domiciliar

O cuidado domiciliar é considerado uma prática fundamental pois fornece tudo o que o paciente precisa no conforto da sua casa.

Se o internado necessita de determinado equipamento, por exemplo, é responsabilidade da instituição de saúde prover material.

E, em casos em que a saúde do beneficiário exige o acompanhamento do time de home care, são direcionados esses recursos para ele.

Ou seja, o beneficiário receberá todo o apoio para que a sua recuperação ocorra de forma satisfatória.

Além disso, essa forma de cuidado é fundamental pois permite que o paciente se recupere em ambiente familiar, fator que favorece a saúde mental do paciente e de seus familiares, podendo contribuir para o tratamento.

Essa ação é de extrema importância pois diminui os custos em saúde uma vez que a internação hospitalar possui outros gastos envolvidos.

Mas afinal, o que é NEAD?

Agora que você já sabe o que é o cuidado domiciliar e a sua importância, você deve saber que o NEAD é um Score, ou seja, uma ferramenta amplamente utilizada de serviços durante todo processo de cuidado domiciliar.

“O Score possui várias categorias que permitem analisar a saúde do internado e pode ser usado como referência para o desenvolvimento do plano de cuidados do paciente.”

Principalmente durante as etapas iniciais, que envolvem o planejamento dos recursos a serem direcionados no cuidado domiciliar.

O papel do NEAD no cuidado domiciliar

O NEAD objetiva padronizar as ações relacionadas ao cuidado domiciliar. 

Isso permite garantir a qualidade da atenção realizada no lar do paciente, o que pode propiciar que ele tenha um desfecho satisfatório.

Ou seja, seu papel é de extrema importância no contexto da auditoria em saúde, uma vez que, além de colaborar para a melhora da saúde do beneficiário, facilita o trabalho do enfermeiro auditor e permite que ações sejam direcionadas de forma mais assertiva e estratégica.

e-book auditoria concorrente

O NEAD busca levar o conceito da assistência domiciliar a todos e fomentar a busca por qualidade na assistência. 

Veja a seguir alguns critérios avaliados durante a aplicação da ferramenta que define o cuidado que será feito em casa. Continue a leitura!

Critérios de avaliação

1. Elegibilidade

O primeiro grupo da tabela é referente à análise da elegibilidade do paciente ao cuidado domiciliar.

A partir de algumas questões é possível determinar se o paciente é elegível para o cuidado domiciliar. 

Confira abaixo as perguntas pertinentes a esse módulo:

  • Apresenta cuidador em período integral?;
  • O domicílio é livre de risco?;
  • Existe algum impedimento para se deslocar até a rede credenciada?.

2. Critérios para Indicação Imediata de Internação Domiciliar 

O segundo grupo da tabela fornece os principais pontos técnicos a se avaliar que indicam a necessidade de indicação imediata de internação domiciliar.

Abaixo é possível observar os principais critérios avaliados:

  • Alimentação parenteral;
  • Aspiração de traqueostomia/Vias aéreas inferiores;
  • Ventilação mecânica contínua invasiva ou não;
  • Medicação parenteral ou hipodermóclise.

3. Critérios de Apoio para Indicação de P.A.D. 

O terceiro grupo da tabela reúne pontos de apoio para indicação do P.A.D. .

P.A.D. é a sigla referente ao planejamento de atenção domiciliar.

Esses pontos estão relacionados ao grau de dependência, risco para complicações, morbidade e procedimentos técnicos. Confira:

  • Estado nutricional;
  • Alimentação ou medicação por via enteral;
  • KATZ;
  • Internações no último ano;
  • Aspirações por vias áreas superiores;
  • Lesões;
  • Exercícios ventilatórios;
  • Uso de oxigenoterapia;
  • Nível de consciência.

Ferramentas complementares

Além do NEAD, outras ferramentas podem ser utilizadas durante a avaliação do estado do paciente para o direcionamento do atendimento do paciente em casa. 

Confira abaixo algumas delas:

ABEMID

Uma delas é a ABEMID, uma ferramenta que avalia a complexidade do cuidado domiciliar prestado ao paciente.

De acordo com os itens a serem avaliados, é possível classificar o beneficiário em:

  • Beneficiário não elegível para internação domiciliar – 7 pontos; 
  • Baixa complexidade – de 8 a 12 pontos;
  • Média Complexidade – de 13 a 18 pontos;
  • Alta Complexidade – Acima de 19 pontos.

Qual a importância da ABEMID?

A ABEMID permite padronizar o cuidado prestado ao paciente de acordo com a classificação existente.

Além do que, facilita a rotina do enfermeiro auditor, ao disponibilizar as categorias a serem avaliadas.

De acordo com a complexidade do paciente, ela também possibilita direcionar o tratamento que seja pertinente à saúde clínica, a fim de que o beneficiário obtenha o melhor desfecho.

Tudo isso auxilia na garantia do cuidado prestado.

Conclusão

Tabelas são ferramentas de extrema importância para o processo de internação domiciliar. 

Gostou do conteúdo e quer saber mais sobre home care e gestão em saúde? Inscreva-se na nossa newsletter e fique por dentro do que existe de mais atualizado na saúde suplementar brasileira!

indicadores de auditoria em saúde