banner ebook auditoria em saúde

As tecnologias que auxiliam no atendimento domiciliar são aquelas que permitem um ótimo monitoramento a distância e controle dos processos, como a Telemedicina e sistemas em nuvem.

O atendimento domiciliar, também conhecido como home care, se torna cada vez mais comum, principalmente devido aos avanços da tecnologia na Medicina.

Os avanços tecnológicos permitem que a mesma qualidade prestada em clínicas e hospitais seja mantida na casa dos pacientes que já atingiram uma estabilidade clínica.

Aprenda neste artigo quais são as principais tecnologias que fazem toda a diferença no atendimento domiciliar.

Quais são as tecnologias que auxiliam no atendimento domiciliar?

1. Prontuário eletrônico

O home care requer atenção e cuidado da equipe de saúde, que normalmente é composta por profissionais da enfermagem, fisioterapia e Medicina.

Como diferentes especialistas cuidam de um único paciente, o ideal é contar com um prontuário compartilhável entre profissionais de saúde, para que tudo fique centralizado em um único local.

Um prontuário eletrônico, por exemplo, consegue manter um histórico completo e pode ser acessado de qualquer lugar, a qualquer hora, o que é uma grande vantagem para o atendimento domiciliar.

Afinal, além de oferecer uma ótima acessibilidade para o paciente, sua família e a equipe de saúde, o prontuário eletrônico também oferece mais segurança do que uma ficha de papel.

Diferente de um papel, o prontuário eletrônico só é acessado pelo login e senha exclusivos do profissional de saúde autorizado a acessar o documento.

2. Telemedicina

A Telemedicina é a solução ideal para realizar atendimentos a distância com segurança e praticidade. 

Por meio de uma videoconferência, é possível conversar com o paciente, checar seu ambiente, verificar seu estado físico, entrar em contato com a família e demais profissionais de saúde.

Exames de radiologia, resultados de exames de sangue, qualquer documento eletrônico também pode ser compartilhado por Telemedicina, até mesmo uma prescrição eletrônica assinada digitalmente.

e-book auditoria concorrente

Ou seja, a não ser que um exame físico seja necessário, a Telemedicina consegue cumprir todas as necessidades de um atendimento médico.

O ideal é contar com um software médico que ofereça uma ferramenta de Teleconsulta, bem como um prontuário eletrônico, prescrição, assinatura digital, entre outros.

3. Aplicativos de saúde

Aplicativos de saúde como o Diário Cefaleia, Pillboxie, Medicinia, Dr. Drauzio Primeiros Socorros, entre outros, podem ser verdadeiros aliados para os pacientes no atendimento domiciliar.

Ao invés de simplesmente contarem com suas memórias, os pacientes podem anotar quando tiverem dores de cabeça, sintomas, programar alertas para tomar remédio, assim em diante. 

Dessa forma, os médicos e demais profissionais podem receber as anotações mesmo quando estão longe do paciente, o que complementa as observações do prontuário.

4. Monitores e mensuradores de funções vitais

Como os pacientes não estão mais em um ambiente médico, como uma clínica, ambulatório ou hospital, caso seja necessário, é fundamental ter monitores e outros mensuradores de funções vitais.

Assim, os médicos conseguem receber os sinais vitais do paciente de outro local, registrar no prontuário eletrônico e avaliar com outros profissionais, o que melhora a gestão em saúde.

5. Carefy

A Carefy é um sistema de auditoria médica que possui ferramentas essenciais para o atendimento domiciliar, como um aplicativo com um quadro de evolução dos pacientes e gráficos de gestão.

Também é possível agendar visitas, roteirizar o atendimento virtual e integrar a agenda do Carefy ao software de gestão da clínica.

Todas essas vantagens permitem que o home care tenha mais qualidade, eficiência e integração entre a equipe de saúde. 

Neste artigo você aprendeu 5 tecnologias que auxiliam no atendimento domiciliar: o prontuário eletrônico, a Telemedicina, aplicativos de saúde, mensuradores de funções vitais e a plataforma Carefy.

Espero que tenha gostado do conteúdo! Não se esqueça de compartilhar com seus colegas.

indicadores de auditoria em saúde