Banner E-book Cooperativas Médicas

A busca pela sustentabilidade econômico-financeira é presente em diversas instituições de saúde e, nas cooperativas médicas, não seria diferente.

Nesse sentido, elencamos os principais pontos do assunto para ajudar você a entregar mais resultados, reduzir os custos de sua operação e tornar a sua gestão em saúde mais eficiente. Confira!

Primeiro, qual o conceito de sustentabilidade?

De acordo com o dicionário, sustentabilidade é definida como:

Característica ou condição do que é sustentável.

Assim, no setor da saúde, podemos aplicar a sustentabilidade como sendo o conjunto de ideias, ações e/ou estratégias, que visam garantir a viabilidade econômica da instituição, sem comprometer o serviço prestado.

Nas cooperativas médicas, isto resulta no uso adequado de recursos financeiros, no direcionamento correto da equipe e, sobretudo, no funcionamento eficaz, assertivo e que permite o melhor cuidado possível ao paciente.

Por que a sustentabilidade econômico-financeira é uma preocupação das cooperativas?

A competitividade das instituições é um assunto sério e, muitas vezes, torna-se um pesadelo na vida dos gestores.

Com o movimento de entrada de outras operadoras em novas regiões, algumas cooperativas médicas estão cada vez mais atentas em relação ao seu market share, sua a margem de lucro e sua presença na região. 

Isso tudo leva à uma grande questão: 

Como atingir resultados satisfatórios, ter uma sustentabilidade econômico-financeira e não comprometer a qualidade do atendimento?

Talvez a resposta onde menos esperamos. 

Isso porque, muito ainda pode ser feito em relação aos altos e desnecessários custos que ocorrem na operação.

Segundo o IESS, quase 20% dos gastos da saúde suplementar são desnecessários.

E realmente isso é um desafio enorme da saúde suplementar. 

Mas também é algo que pode ser trabalhado. 

Aquelas que fecharem a torneira do desperdício podem transformar isso em uma vantagem competitiva frente a novos entrantes. 

E, uma instituição competitiva, apresenta um bom desempenho de trabalho e relatórios financeiros satisfatórios.

Em resumo, atingindo a sustentabilidade, a cooperativa consegue aliar 3 pontos fundamentais da gestão:  

  • A visão de futuro da instituição e manter a instituição competitiva no mercado;
  • A redução dos custos da operação sem comprometer a qualidade do atendimento prestado;
  • O aumento do Índice de Desempenho da Saúde Suplementar da instituição.

Estratégias para alcançar a sustentabilidade sem comprometer a qualidade

Reduzir os custos sem comprometer a qualidade do atendimento prestado pode parecer uma missão impossível, entretanto, isso não é verdade.

Novamente, é importante ressaltar que muitos dos custos recordes vistos hoje, são frutos da falta de planejamento ou dificuldade de elencar prioridades.

Segundo a Revista Medicina S/A, apenas no terceiro trimestre de 2021, os custos das operadoras chegaram a R$43 bilhões de reais. Ocorreu também o aumento da sinistralidade das operadoras.

Para conseguir fugir da realidade do setor e se tornar referência em sustentabilidade-econômico financeira, algumas estratégias podem ser realizadas, tais como:

1. Verticalizar o cuidado

Utilizar recursos próprios como hospitais, clínicas ou laboratórios, é a definição de verticalizar o cuidado.

Essa é uma estratégia interessante que visa reduzir os custos das operações, promover um maior cuidado prestado e, ainda, permitir uma visão do futuro da instituição.

Grandes players do mercado como Hapvida, Notredame Intermédica e Amil estão usando essa estratégia visando a consolidação nacional. 

2. Substituir o modelo exclusivo de fee-for service

Os modelos de remuneração podem ser a problemática de muitas instituições e prejudicam sua competitividade.

Isso porque, muitas vezes, o modelo mais utilizado pode não ser o mais sustentável.

Alterar o modelo de remuneração para um que preze pelo cuidado do paciente pode ser uma alternativa para acompanhar as tendências do mercado e aumentar a competitividade da sua cooperativa.

3. Adotar tecnologias digitais interligadas para redução de custos

Não é segredo que a tecnologia é uma aliada dos gestores de saúde e suas respectivas instituições.

A tecnologia permite uma tomada de decisão baseada em evidências e dados reais da própria instituição, fator que aumenta a sustentabilidade, competitividade e a prestação de um cuidado mais assertivo ao paciente.

Ainda, é possível visualizar de forma prioritária quais demandas devem ser resolvidas com mais ou menos urgência.

E, diferente do que se pensa, ao invés de internalizar o processo de desenvolvimento de sistemas para a realidade interna, terceirizar esse serviço pode ser de grande vantagem. 

4. Centralizar informações da operação

A centralização de informações da operação é uma das estratégias mais importantes para as cooperativas que desejam reduzir custos sem diminuir a qualidade dos atendimentos.

Isso porque, a centralização de informações garante o monitoramento de toda a operação, até mesmo das redes credenciadas.

A regra é clara, quanto mais informações centralizadas, mais indicadores você vai gerar e, mais decisões assertivas podem ser tomadas — principalmente na redução de custos.

Como o Carefy pode ajudar a alcançar a sustentabilidade econômica financeira na sua cooperativa médica?

O Carefy é o software mais completo de auditoria e gestão em saúde. Diferente do fluxo tradicional, o software Carefy permite a visualização de todos os dados em tempo real, de acordo com a inserção deles na plataforma.

Com o Carefy, o tempo de espera para que o auditor chegue em casa, analise as anotações que fez em papéis e passe-as para uma planilha para que você, gestor, tome decisões, fica no passado.

O processo de auditoria concorrente, por exemplo, passa de 7 dias para tempo real. 

Ainda, é usado a inteligência artificial da Carefy  em diversos pontos do processo, o que permite a análise estruturada e estatística da operação, resultando no embasamento das tomadas de decisões.

Confira os demais benefícios: 

Benefícios do uso do Carefy

1. Redução de custos

Se você chegou até aqui, temos certeza que reduzir os custos da sua instituição de maneira expressiva é um de seus objetivos.

É para isso que existe o Carefy!

Para tanto, com a utilização do Carefy, é possível uma redução de até 40% da média de permanência geral da sua instituição.

Isso significa uma diminuição de até 13% nos custos da sua operação!

Tudo isso com um retorno sobre o investimento (ROI) de até 100x em apenas 6 meses de uso. 

2. Aumento do resultado e a eficiência da equipe

Uma equipe eficiente resulta em um trabalho focado e que entrega resultados.

Essa também é uma demanda atendida pelo Carefy!

Ao utilizar a plataforma, muitas operadoras de saúde alcançaram um aumento de até 137% de eficiência da equipe.

3. Fornece interfaces digitais interligadas

Isso porque focamos no processo completo da jornada do paciente dentro da operadora de saúde, desde a entrada até o fechamento da conta.

Na prática, todas as informações de internação do paciente estão em uma mesma plataforma, com o histórico e indicadores necessários para uma gestão otimizada. 

Processos de autorização, auditoria concorrente, home care e auditoria de contas estão totalmente interligados e disponíveis para o acesso dos gestores de acordo com a necessidade. 

5. Auxilia na mudança do modelo exclusivo de fee for service

Através dos indicadores de rede e de prestadores, é possível saber a performance do credenciado de acordo com o desfecho clínico. 

Informações sobre eventos adversos, taxa de óbito e reinternações, por exemplo, podem ser de grande valia na hora da negociação de contratos, na auditoria de contas médicas e na mudança do modelo de remuneração do prestador. 

Quer alcançar a sustentabilidade econômico-financeira da sua cooperativa tendo a tecnologia como sua aliada e embasando suas tomadas de decisões? Fale com nosso time de especialistas!